Autor

Nelson Rodrigues

A procurar

Começa no dia 24 de Fevereiro, entendendo-se até 4 de Março, no Teatro Rivoli,  a 37ª edição do Fantasporto.

Embora estas sejam as datas oficinais o “Fantas” começa a dar que falar a partir de dia 20 e, no decorrer do festival, serão apresentados cerca de 125 filmes alguns deles antestreias nacionais, europeias e internacionais. Das curtas às longas metragens, passando pelo cinema de animação e experimentar, o festival divide-se em dois grandes e fortes temas: o cinema de imaginação (fantástico) e o cinema de realidade.

Para saber mais sobre o festival, assim como todo o cartaz, basta visitar o Website Fantasporto.

A fotografia sempre foi parte integrante do design. Estamos acostumado a ver imagens de elevada qualidade, muitas delas clichés, mas que custam uma “pipa de massa”!

No entanto, cada vez mais, há um maior numero de sites que disponibilizam imagens de elevada qualidade e… livres e gratuitas.

[agg-ad id=”984″ align=”center”]

Aqui fica a lista dos websites, sem nenhum ordem em particular. Se souberem de mais, por favor coloquem nos comentários.

  1. stocksnap
  2. unsplash
  3. gratisography
  4. negativespace
  5. freestocks
  6. skitterphoto
  7. mmtstock
  8. picography
  9. lifeofpix
  10. littlevisuals
  11. deathtothestockphoto
  12. foodiesfeed
  13. epicantus
  14. kaboompics
  15. tookapic
  16. jaymantri
  17. pixabay
  18. getrefe
  19. twnsnd
  20. imcreator
  21. picjumbo

 

Sobre as licenças

Muitas imagens dos stocks acima indicados são livres de quaisquer direitos de autor ou são Dedicação ao Domínio Público. Quer dizer que as imagens podem ser copias, modificadas, distribuídas e inseridas em qualquer trabalho, mesmo que os fins sejam comerciais, sem ter que pedir permissão o autor.
Pode, no entanto, haver algumas exigências tais como: identificar o autor, colocar um url da imagem, etc. Antes de utilizar qualquer imagem veja qual a licença da mesma.

Faz hoje 5 dias que deixei de fumar!

Depois de uma valente constipação / gripe decidi que era altura de deixar de fumar! Já lá vão mais de 20 anos a fumar, a idade já não é a mesma e estas coisas começam a pesar!
Para me comprometer, porque às vezes é preciso alguém que nos guie, fiz uma consulta de auriculoterapia. Embora o método acordado fosse algo mais temporal, sem pressão, ir diminuindo aos poucos o certo é que no primeiro, segundo e terceiro dia ainda fumei, menos é certo, fumei em três dias o que fumava em 2. Mas não era o suficiente!

Ao quarto dia não toquei num cigarro, não comprei tabaco e, sobretudo, resisti à tentação. Os dois primeiros dias sem tabaco foram complicados: dores de cabeça, ansiedade, concentração diminuída. Ao terceiro dia coloquei um cigarro na boca… ia-me vomitando com o sabor. Esta pequena recaída apenas serviu para fortalecer o que quero, cessar de vez com o fumo.
Ainda hoje, já com o monóxido de carbono e a nicotina totalmente eliminados do organismo, os sistemas de privação ainda subsistem mas cada vez menos pelo que cada vez me “esqueço” mais que fumava.

Mas há também outras coisas que me parecem francamente melhores: o cansaço ao mexer é menor, a respiração é muitíssimo melhor e a tensão arterial que estabilizou em valores normais onde antes andavam em valores de hipertensão – é aqui onde vejo mais os efeitos benéficos de ter cessado o tabaco.

Uma das coisas que me ajudam no dia-a-dia é visualizar o que já aconteceu. Por isso, para além de ter a aplicação no telémovel, tenho também este banner para quem estiver interessado saber e conseguir acompanhar.

A cerimónia dos ED-Awards 2017 decorrerá no Porto a 27 de Maio.

Este ano o Porto recebe a entrega dos prémios da European Design Awards.
A ED,  que completa este ano 10 anos de existência, é uma comunidade constituída por profissionais de várias àreas – jornalistas, editores, académicos, etc. –  que se reúnem anualmente com o objectivo de reconhecerem os melhores projectos ligados ao design e comunicação realizados na Europa.

Os projectos podem ser enviados, através do website da ED, até dia 17 de Janeiro, concorrendo a uma das quarenta categorias existentes.
O custo de submissão varia entre os 112€ (profissionais) e os 40€ (estudantes).

Mais informações em: https://europeandesign.org/

Está em visita em Braga? Aproveite para se deliciar com uma deliciosa Francesinha!

Antes de mais: O que é a Francesinha?
Segundo a wikipedia é uma sanduíche e constituída por linguiça, salsicha fresca, fiambre, carnes frias e bife de carne de vaca ou, em alternativa, lombo de porco assado e fatiado, coberta com queijo posteriormente derretido. É guarnecida com um molho à base de tomate, cerveja e piri-piri. Os acompanhamentos de ovo estrelado (no topo da sanduíche) e batatas fritas são facultativos.

Taberna Belga

Posto isto, e só isto já dá água na boca, vou falar da Taberna Belga o ex-libris deste famoso prato em Braga.
Os mais puristas dirão que esta francesinha não é “à moda do Porto” e não, não é, é à moda da Taberna Belga que também é muitíssimo bom!
Os ingredientes são de qualidade, os funcionário atenciosos e carta de cerveja fora de série. Como especialidade, para além das Francesinhas, podem encontrar também os cachorros e os pregos no prato / bitoque.

Para rematar falo das cervejas… e são muitas tanto nacionais como internacionais. Só para enumerar algumas: Fino Kwak (a minha escolha para acompanhar a Francesinha), Fino Kapittel, Pilsner Urquell, Chimay, Kasteel, Golden Draak, Timmermans para além de um conjunto de cervejas artesanais com especial destaque para a cerveja minhota artesanal Letra.

O preço, em conta, anda entre os 12,50€ e os 17,50€ dependendo das bebidas, sobremesas e café e, dependendo do número de pessoas, normalmente tem de se esperar um pouco por mesa.
A Taberna Belga tem disponível, em Braga, dois espaços:
Rua Cónego Luciano Afonso dos Santos loja 1ARua Mário de Almeida nº 67
Telefones: 253042708 / 934203220 / 253062269

A informação sobre a morada e telefones, assim como as imagens, foram retiradas da página do Facebook do restaurante.

 

Com 24 anos, Marion é a autora da nova imagem do cartão Andante que entra em cena dia 16 de Janeiro. Inspirou-se nos azulejos do Porto e quer mostrar que a cidade “está em constante movimento”

Naquelas viagens de metro entre Vila do Conde e o Porto, durante os anos em que se dividia entre o lar, a faculdade e os treinos de basquetebol no Académico FC, Marion Mazer passava horas a desenhar. Pegava no seu moleskine e retratava as pessoas que via. “Era o meu passatempo preferido”, recorda, “e perdi-o desde que vim para aqui [Porto] viver e comecei a trabalhar”. Mal sabia a jovem designer que, quatro anos depois, daquelas mesmas mãos, as suas, sairia a nova imagem do título Andante, aquele que ainda hoje usa na curta viagem de autocarro entre a sua casa, na Boavista, e o trabalho na agência Porto da Comunicação. “Acho que ainda não acredito que as pessoas vão ter na carteira o cartão que desenhei.”

Nascida em Matosinhos, filha de pais franceses (com uma costela italiana), Marion, de 24 anos, foi a vencedora do concurso lançado em Maio pela Transportes Intermodais do Porto com o objectivo de renovar a imagem do sistema Andante, que se mantinha inalterável 2002. Ganhou cinco mil euros e, claro, a oportunidade de ver uma criação sua bem presente no dia-a-dia da cidade já a partir de segunda-feira, 16 de Janeiro. A proposta, inspirada nos azulejos antigos, foi a escolhida entre 400 candidaturas, e a verdade é que a eleição muito a surpreendeu. Logo ela que só enviou a sua depois de a irmã, Prune, muito a pressionar. “Na altura não tinha ficado com muito boa impressão do meu trabalho e ela disse-me: participa pelo sim pelo não e, se ganhares, pagas-me um jantar.”

Não sabemos se a dívida já foi cobrada, mas olhando para trás alguma da insegurança já desapareceu. “É difícil pôr tudo o que a cidade significa num só cartão”, admite. Conjugar “mobilidade e inovação” com o peso da “história”. Quando se decidiu a participar no concurso (do qual teve conhecimento através do P3) passou uma semana a ver fotografias da cidade, a analisar títulos de transporte de outros locais e, principalmente, a andar nas ruas. “Se tenho de me inspirar no Porto, a melhor maneira é andando.” Não para ver os espaços novos, mas para calcorrear as artérias antigas. “Sou daquelas pessoas que vai na rua a ir contra os postes porque estou a olhar para cima, para coisas no chão, para as pessoas”, graceja. Depressa se apercebeu que não se iria centrar em desenhar monumentos ou paisagens (“Isso já foi feito”), antes naquele que, para si, é um dos grandes ícones da cidade: o azulejo. “Que as pessoas reconhecem que é Porto.” E de mais lado nenhum. “Isto nunca poderia ser um cartão de Paris, por exemplo.” E, sim, em todo este processo, a nova imagem da Câmara da autoria do White Studio, que também se inspirou no mesmo elemento, não lhe foi indiferente.

Armada de Adobe Illustrator, concebeu dois cartões em que padrões de azulejos brincam com linhas que indicam movimento — e vice-versa. Um azul escuro, em papel, e outro prateado, que substitui o antigo cartão dourado em PVC. “É uma imagem que fala alto mas não berra”, descreve Marion, que se licenciou em Tecnologia da Comunicação Multimédia pela ESMAE. Para transmitir “vida”. “Quis mostrar que o Porto está em constante movimento. É uma cidade que é alegre para se estar, tenho orgulho de viver cá e todos os dias há coisas novas que se podem fazer e coisas novas que nos passam ao lado, que poderíamos ter feito e não fizemos. Não é só movimento… é ênfase, excitação.” Efervescência? “Sim, acho que está em efervescência. Tentei passar isso com este design e espero ter conseguido.”

Retirado/Artigo original por p3.publico.pt

É umas grandes tendências actuais: o reavivar as “velhinhas” máquinas de película!

Dito isto, a Kodak, de olho no mercado, está prestes a relançar, lá para o outono, um dos filmes mais emblemáticos da marca: o Ektachrome!

Disponível no formato de 33mm e Super 8 este filme de slide permite praticamente anular qualquer erro ao fotografar ao contrário das películas em negativo. Usando um medidor de luz é meio caminho para obter exposições perfeitas cada vez que carrega no disparador.

Ver comunicado da Kodak

Artigo inspirado na newsletter enviada por Matthew Jordan Smith.

Vinte e seis anos eis a terceira temporada de Twin Peaks!

A nova temporada estreia a 21 de maio e o primeiro episódio tem, nada mais nada menos, que 120 minutos. Quem o diz é David Nevins, CEO da Showtime Network, que afirma ainda que, após terminar o primeiro episódio, serão disponibilizados, on-demand, o episódio 2 e 3 perfazendo assim 4 horas de Twin Peaks num só dia!

A terceira temporada terá um total de 18 horas e, para já, a única que se sabe é que a narrativa é iniciada onde Mark Frost e David Lynch nos deixaram na segunda temporada. A série é protagonizada um grande lote actores da série “original” como Mädchen Amick, Sheryl Lee ou Kyle MacLachlan. Mas há também algumas participações mais inesperadas como a de Eddie Vedder, Michael Cera ou Monica Bellucci. O elenco completo pode ser visto no IMDB.

Resta saber quando e onde passará em Portugal…